quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Insetos

Orthoptera (do grego orto - pteros (asas retas)) é uma ordem de insetos que possuem as asas superiores retas e coriáceas, recobrindo as asas inferiores mais largas, dobradas no seu sentido longitudinal. Tais insetos possuem pernas posteriores longas e possantes, apropriadas para saltar, o aparelho bucal e mastigador. Esta ordem é restrita de herbívoros e popularmente chamada como o grilo e gafanhoto. Esses insetos possuem o terceiro par de pernas do tipo saltatorial, sendo esse o caráter que os separa das demais ortopteróides (baratas, louva-a-deus e bichos-paus). O primeiro par de asas é tégmina, utilizadas para proteção, e o segundo par é de asa membranosa utilizada para vôo. O aparelho bucal é do tipo mastigador, ou seja, sem modificações das peças bucais. As antenas são filiformes ou setáceas, o comprimento das antenas são características utilizadas para identificar algumas famílias, O primeiro par de pernas pode ser ambulatorial ou fossorial. A reprodução é geralmente sexuada e a maior parte das espécies é ovípara, embora existam espécies partenogenéticas. O desenvolvimento é por hemimetabolia (ovo, ninfa, adulto), o desenvolvimento das asas é do tipo exopterigota, sendo observado a teca alar nas formas jovens. O protórax é o segmento torácico mais desenvolvido, o abdome é séssil com 11 urômeros. As fêmeas podem apresentar ovipositor longo com aspecto de lâminas ou cilíndrico, porém há espécies com ovipositor muito curto. Algumas espécies possuem cercos longos. A maioria dos ortópteros apresenta tímpanos (órgãos auditivos) localizados de cada lado do primeiro urômero ou na base das tíbias anteriores. A maioria dos ortópteros produzem sons, o canto desses insetos é conseguido por estridulação, ou seja, atritando uma parte do corpo contra a outra. Em geral, somente os machos possuem órgãos estridulatórios. Os ortópteros em geral são de hábitos terrestres e fitófagos, sendo algumas espécies pragas de gramíneas, hortaliças, mudas de cafeeiro, de eucalipto etc.


Grilo




Lacraias, ou centopeias, são artrópodes da classe Chilopoda, geralmente encontrados em solo úmido, sob cascas de árvores, rochas, dentre outros; em regiões tropicais e temperadas. De hábitos noturnos, alimentam-se, principalmente, de pequenos artrópodes, minhocas e vermes: vítimas estas que capturam ainda vivas, inoculando seu veneno a fim de paralisá-las.

Com corpo segmentado (de 15 a mais de 170 segmentos), apresentam um par de patas em cada um deles, sendo que o último tem função sensorial e/ou defensiva. Possuem também dois pares de maxilas, duas antenas articuladas, glândulas de peçonha e órgão inoculador de veneno, denominado aguilhão. Em algumas famílias há, ainda, conjuntos de olhos simples ou ocelos laterais.

O veneno das centopeias é algo ainda pouco estudado. Entretanto, sabe-se que nestas substâncias podem ser encontradas proteínas, lipídios, lipoproteínas, histamina, hialuronidase, polipeptídeos e proteinases. Edemas, acompanhados de dor instantânea e intensa, em alguns casos acompanhados de febre intensa, náuseas e vômitos; fazem parte da sintomatologia de acidentes com estes animais. 

lacraia



As formigas, o grupo mais popular dentre os insetos, são interessantes porque formam níveis avançados de sociedade, ou seja, a eusocialidade. Todas as formigas, algumas vespas e abelhas, são considerados como insetos eusociais, fazendo parte da ordem Hymenoptera. As formigas estão incluídas em uma única família,Formicidae, com 12.585 espécies descritas até 4 de janeiro de 2010,[1] distribuídas por todas as regiões do planeta, exceto nas regiões polares. As formigas são o gênero animal de maior sucesso na história terrestre, constituindo de 15 a 20% de toda a biomassa animal terrestre.[2]
Acredita-se que o surgimento das formigas na Terra deu-se durante o período Cretáceo (há mais de 100 milhões de anos) e pensa-se que elas evoluíram a partir de vespas que tinham aparecido durante o período Jurássico.
Por vezes, confundem-se as térmitas (cupins) com as formigas, mas pertencem a grupos distintos.
As formigas distinguem-se dos outros insetos – mas algumas destas características são comuns a alguns tipos de vespas - por apresentarem:
Uma casta de obreiras sem asas;
As fêmeas são prognatas (peças bucais no acron);
Presença de um ‘’saco infrabucal’’ entre o lábio e a hipofaringe;
Antenas articuladas, com o artículo distal alongado (exceto nas subfamílias Armaniinae e Sphecomyrminae);
Glândula metapleural nas fêmeas, abrindo na base das patas posteriores;
O segundo, e em algumas espécies também o terceiro, segmento abdominal formando um “pecíolo” (pouco diferenciado nas Armaniinae);
As asas anteriores não apresentam nervuras ramificadas;
A rainha perde as asas depois da cópula, que é realizada em voos de milhares de indivíduos.

formiga 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário